Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Joana Cavalcanti.

Tão simples assim.

Joana Cavalcanti.

Tão simples assim.

Slow Living

21.03.19, Joana Cavalcanti


Deparei-me com o conceito de Slow-Living, depois do meu burnout, e no tempo que passei recolhida não só neste nosso cantinho chamado Casa, mas entre passeios pela comunidade.

Sempre vivi nos subúrbios de Lisboa, e assim foi quando decidimos viver juntos, só que em vez de vivenda, vivo em comunidade num prédio, experiência há qual tive de me adaptar (da melhor maneira).

Não há nada como domingos-domingueiros e descer as escadas a ouvir o "querida" e os "beijinhos meu amor" da Dª Benedita, ou o casal já velhote do 1º esq. que cumprimento ao vir das compras, mesmo quando cheia de sacos e que gostam de ir almoçar fora como namorados todas as semanas. Ou também nos dias de limpeza do 3º Esq. quando este já adapta a playlist ao meu gosto porque assim sabe que ouço a música dele aos berros mas também assim a acompanho.

Há 2 anos atrás entrava neste prédio numa correria às 21h e saia às 8h15 numa correria ainda maior.

Aprendi (à força) e ainda bem a ver estes detalhes à minha volta, a desacelerar, a simplificar, a dizer não, a focar-me nas coisas que realmente importam.

Antes passava os dias a tentar fazer milhões de coisas, num estado hiper-acelarado (que ganhei como presente para a vida para lidar), acabando por não fazer nada de nada, entrando no estado de maior frustração.

Esta plataforma vai ajudar-te com pequenos passos, pequenas dicas, a atingir a simplicidade, um ritmo mais espaçado onde vives e respiras o verde de um parque, onde domingo é domingando. E até não fazer nada é permitido.