Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Joana Cavalcanti.

Tão simples assim.

Joana Cavalcanti.

Tão simples assim.

Do Diário: Trilhos Verdejantes

04.11.18, Joana Cavalcanti

Vou trabalhar. Não que me apeteça sair da cama ou largar a ronha. Vou trabalhar. Para ganhar dinheiro. Para além do essencial dinheiro para contas de sobrevivência, vou trabalhar para ganhar dinheiro para fazer um trilho como a Isabel das botas desta fotografia. Que o meu pé de raiz já pede há muito este ar da Europa central para deixar bolbo de flor. Este desabafo entre pedradas e pinheiros dos "de verdade" além serra de Sintra. Vou ganhar dinheiro para fazer um trilho pela Polónia e terras de língua estranha. Numa introspecção pela alma numa liberdade da pele que se aflora. Vou trabalhar, porque quero além do essencial básico da pirâmide das necessidades que se estuda na faculdade, dizer aos RH que vou fazer um trilho com o que me é pago naqueles questionários, pois o que o meu ventrículo esquerdo e direito bombardeiam alma boca fora de corpo dentro, deitam fora verdade sem pensar, mas a verdade é bonita. Mesmo inapropriada na minha casmurrice, Bonita a verdade é. "Fiz um trilho e cresci corpo e alma com o que ganhei."
Com esta frase seria um CEO feliz.
Pego nas camisas Dele, de flanela aos quadrados, que na verdade, já uso ao fim de semana, mesmo para sair à rua ou estar em casa. Junto as minhas. Pego na bela ideia de um bom Tinto da Isabel, que os Alemães têm em tamanhos mini, para ter aquele português sabor requinte que me é casa, e pode ser que até lá...a bonita Isabel já tenha lançado um livro que me acompanhe. Há pessoas do caraças como Ela. E que sejamos todos uma também.
E eu que meti esta na cabeça há uns anos. Recuperei a ideia num fervilhar louco de entusiasmo. Vou trabalhar. Vou ganhar dinheiro e fazer um trilho. Sem pressas de datas marcadas ou timelines que sonhar enriquece e ajuda a também a economizar com muito amor a vontade e pica.
9.08.2017